Páginas

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Aprovação a Dilma cai para 12%, indica pesquisa Ibope

Segundo levantamento, 64% dos entrevistados reprovam gestão da petista.

Instituto ouviu 2.002 pessoas, entre 21 e 25 de março, em 142 municípios.

Infográfico pesquisa Ibope/CNI de março de 2015 (Foto: Editoria de Arte G1)
Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (1º) mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 12% dos entrevistados, no percentual que reúne os que avaliam o governo como “ótimo” ou “bom”. Em dezembro, no último levantamento do Ibope, 40% aprovavam a gestão da petista.
A pesquisa, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizada entre os dias 21 e 25 de março e ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo”, segundo o Ibope, são 64%. Para 23%, o governo é “regular”.
O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:
- Ótimo/bom: 12%
- Regular: 23%
- Ruim/péssimo: 64%
- Não sabe/não respondeu: 1%
Na pesquisa de dezembro, 27% consideravam dos entrevistados avaliaram a administração Dilma "ruim" ou "péssima". Já 32% consideraram a gestão "regular".
O nível de confiança da pesquisa é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.
Confiança
Segundo a pesquisa divulgada nesta quarta pela CNI, 24% dos entrevistados disseram ter confiança na presidente Dilma Rousseff; 74% afirmaram não confiar na petista; e 3% não souberam ou não opinaram.

terça-feira, 31 de março de 2015

CCJ da Câmara aprova proposta que reduz maioridade penal

Comissão de Constituição e Justiça decidiu que PEC poderá tramitar.

Texto ainda terá de passar por comissão especial e plenário da Câmara. 

Manifestantes contrários à redução da maioridade penal protestam na sessão da CCJ (Foto: Renan Ramalho/G1)
Manifestantes contrários à redução da maioridade penal protestam na sessão da CCJ (Foto: Renan Ramalho/G1)
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta terça-feira (31) a admissibilidade da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal no Brasil de 18 para 16 anos. Trata-se do primeiro passo para o andamento da proposta na Casa, pelo qual os deputados avaliam que o texto está de acordo com a própria Constituição.O placar da votação na CCJ foi de 42 deputados favoráveis à PEC e 17 contrários.
O texto permite que jovens com idade acima de 16 anos que cometerem crimes possam ser condenados a cumprir pena numa prisão comum. Hoje, qualquer menor de 18 anos que comete algum crime é submetido, no máximo, a internação em estabelecimento educacional.
A sessão da CCJ teve também a participação de manifestantes favoráveis à PEC (Foto: Renan Ramalho/G1)A sessão da CCJ teve também a participação de manifestantes favoráveis à PEC (Foto: Renan Ramalho/G1)
Para avançar, a proposta agora precisa passar pela análise de uma comissão especial de deputados, que analisam o mérito (conteúdo) da PEC. Essa fase deve durar 40 sessões, que leva aproximadamente dois meses.
Se aprovada na comissão, a proposta vai ao plenário, onde são exigidos 308 votos, do total de 513 deputados, para aprovação, em duas votações. Depois, a proposta precisa passar pela CCJ do Senado e mais duas votações no plenário, onde são exigidos 49 votos entre os 81 senadores.
A PEC foi apresentada em agosto de 1993 e ficou mais de 21 anos parada. Neste ano, a CCJ da Câmara retomou as discussões, encerradas nesta terça após várias tentativas de adiamento por parlamentares contrários, em minoria na comissão.
Nesta terça, deputados do PT, PC do B e PSOL, os maiores críticos, tentaram mais uma vez impedir a votação, por meio de manobras para alterar a ordem dos trabalhos da CCJ. Como estavam em minoria, no entanto, foram derrotados nas votações desses pedidos.
Na sessão também estavam presentes manifestantes contrários e também manifestantes a favor da PEC. Eles carregavam faixas e cartazes e gritavam palavras de ordem. Não houve tumulto na participação dos manifestantes.
Ação ao Supremo
Após a aprovação da admissibilidade, parlamentares do PT, contrário à proposta, disseram que vão preparar uma ação a ser apresentada ao Supremo Tribunal Federal para impedir o andamento da proposta no Congresso.
Com base em decisões anteriores da Corte, eles citam trecho da Constituição que impede que seja “objeto de deliberação” proposta tendente a abolir direitos e garantias individuais. “Ainda temos tempo de fazer um mandado de segurança e o faremos. E temos apoio de importantes juristas, como Dalmo de Abreu Dallari, Alexandre de Moraes e José Afonso da Silva”, disse Alessandro Molon.
Discussão
A liderança do governo se manifestou contra a PEC, mas boa parte dos deputados de partidos formalmente aliados ao Planalto votaram a favor. Os líderes do PRB, PSD e PR, por exemplo, orientaram os deputados a votarem a favor da PEC. Na oposição, pediram votos pela admissibilidade da proposta líderes do PSDB, DEM e SD. PMDB, PDT e PROS liberaram a bancada. Votaram contra PT, PC do B, PSOL, PPS e PSB.
Falando pelo governo, o deputado e ex-ministro do Esporte, Orlando Silva (PC do B-RJ), tentou convencer os colegas a votar contra a redução da maioridade.
“70% dos países do mundo têm a maioridade penal a partir dos 18 anos. Uma modificação causará estranheza por parte dos países mais avançados, das democracias mais maduras, que aprenderam a respeitar os direitos humanos. O sistema penitenciário brasileiro é uma escola do crime. 70% dos que passam pelo sistema prisional voltam a cometer crimes. Quando falamos do sistema infracional, a reincidência é de 20%”, argumentou o ex-ministro.
Na tentativa de rejeitar a admissibilidade, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) também argumentou que levar um jovem para o sistema penitenciário poderá torná-lo mais violento. “Vamos seguir o exemplo do mundo, onde o conjunto de políticas sociais para infância, adolescência e juventude, tem sim reduzido o conflito com a lei desses jovens”, disse.
Na mesma linha, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) disse que é importante aperfeiçoar outras políticas de recuperação de jovens infratores. “Os problemas brasileiros têm que ser resolvidos num outro plano. Queremos discutir o Estatuto da Criança e do Adolescente, estamos inclusive reunindo assinaturas para adequações. Essa temática, ainda que possa prosperar na CCJ, não prosperará no plenário dessa Casa nem no Senado”, disse o petista.
O relator da proposta, Tadeu Alencar (PSB-PE), também contrário, argumentou que a idade de 18 anos prevista pela Constituição para a maioridade penal é uma cláusula pétrea, isto é, uma regra que não pode ser mudada pelo Congresso.
“Trata-se de uma garantia individual, que assegura ao adolescente ser considerado inimputável. Tal garantia decorre do princípio da dignidade humana e cuida de proteção da infância e da adolescência, um dos fundamentos do Estado Democrático de Direito”, afirmou Alencar.
Favorável à proposta, o deputado Evandro Gussi (PV-SP) argumentou que a maioridade penal deve ter uma “modulação” para se adequar ao direito da vítima de ver punido seu agressor. “A vítima tem sim o direito de ver o seu algoz punido. Há sim um direito fundamental à persecução penal por parte da vítima. O que é permitido pela Constituição é que haja modulação entre esses dois direitos individuais”, afirmou o deputado.
Também favorável à PEC, o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) afirmou que a proposta busca reduzir a impunidade contra atos de violência. “Essa admissibilidade não vai prejudicar quem faz as coisas certas. Não estamos colocando jovens na cadeia. Vamos fazer com que aqueles que cometem crimes não tenham certeza da impunidade, só isso”.
Outro deputado favorável, Evandro Cherini (PDT-RS) disse que a mudança pode diminuir a certeza da impunidade. “É uma tentativa de que essa mudança possa, quem sabe, diminuir, através do medo do crime, a certeza da impunidade, que a sociedade toda tem. A sociedade comete crime porque tem certeza que vai ser impune. Quem é que tem a bolinha de cristal para dizer que vai ficar pior. Eu estou no time do Tiririca: ‘pior que tá não fica’. É só cumprir a lei, fazer as coisas certas. Eu não quero colocar nenhum jovem na cadeia, acho que é horrível”.
Também a favor da redução, Felipe Maia (DEM-RN) disse que essa posição é “majoritária nas ruas”. Ele disse que a medida não exclui a necessidade de prover ensino em tempo integral, para prevenir a criminalidade entre jovens, e a reforma do sistema prisional, para efetivamente recuperar criminosos. “Isso que o Brasil e esta comissão deseja há 22 anos”, afirmou.

Dilma diz ter 'clareza' de que ministro Joaquim Levy foi 'mal interpretado'

Ministro da Fazenda disse que Dilma nem sempre age de maneira 'efetiva'. 

Segundo presidente, Levy ficou 'bastante triste' com repercussão da fala.

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (30), durante entrevista após entregar casas do programa Minha Casa, Minha Vida em Capanema (PA), "ter clareza" de que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi "mal interpretado" ao dizer que ela nem sempre faz as coisas da "maneira mais fácil" e "efetiva".

declaração de Levy foi dada em uma palestra em inglês, na última terça-feira, em São Paulo, a ex-alunos da escola de negócios da Universidade de Chicago (EUA), onde estudou. O jornal "Folha de S.Paulo", que divulgou na internet a gravação com a fala do ministro, informou que no encontro, restrito, Levy disse: "Acho que há um desejo genuíno da presidente de acertar as coisas, às vezes não da maneira mais fácil, mas... Não da maneira mais efetiva, mas há um desejo genuíno". De acordo com o jornal, a fala do ministro foi uma crítica à "pessoa" da presidente.
"Em política, vocês sabem que às vezes eu não posso seguir um caminho curto porque eu tenho de ter o apoio de todos aqueles que me cercam. Então, tem a questão de construir consensos. Eu acho que é nesse sentido que ele falou e não tem por que criar maiores complicações por isso. Ele já explicou isso exaustivamente. Ele ficou bastante triste com isso e me explicou", afirmou.

Pegadinha de Sílvio Santos exibida domingo ganha repercussão internacional

The Walking Dead na vida real. Silvio Santos não garantiu o nome na história da televisão brasileira por acaso. Na noite deste domingo, 29, o apresentador e presidente do SBT exibiu mais uma das suas famosas pegadinhas, desta vez, com zumbis.

O vídeo chamou a atenção até mesmo da imprensa internacional, caso de sites como The Telegraph, The Sun, Daily Mail, Gawker e Huffington Post.
Em todos, a produção caprichada da equipe do SBT foi um dos pontos altos. Na internet, o vídeo está por todos os lados. Este, que pode ser assistido no player abaixo, foi visualizado 177 mil vezes.
Na pegadinha, uma pessoa está sozinha no vagão de metrô no Ceará, quando as luzes começam a falhar e uma voz avisa nas caixas de som que o sistema passa por problemas. Logo, uma horda de fantasiados como zumbi atacam o vagão e, a vítima, lá dentro, se desespera.

72% da verba contra desmatamento na Amazônia é cortada pelo governo

Desmatamento
Levantamento obtido com exclusividade pela Folha [de S. Paulo] indica que a presidente Dilma Rousseff, em seu primeiro mandato, reduziu para R$ 1,78 bilhão os gastos com prevenção e combate ao desmatamento na Amazônia.
Em relação à despesa do governo anterior (R$ 6,36 bilhões), uma queda de 72%.
A pesquisa foi realizada pelo portal Infoamazônia, coordenado pelo jornalista Gustavo Faleiros. O relatório, “A Política do Desmatamento”, será apresentado nesta terça-feira (31).
O antropólogo Ricardo Verdum reuniu os dados sobre gastos relacionados ao Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm) por meio do Siga Brasil, sistema de informações sobre orçamento público do Senado.
O Ministério do Meio Ambiente (MMA) apresenta valores diferentes, pois leva em consideração os investimentos previstos no plano em suas três fases.

segunda-feira, 30 de março de 2015

SUS vai usar mais um remédio para hepatite C

SUS vai usar mais um remédio para hepatite C


anvisa-concede-registro-e-libera-primeiro-remedio-oral-para
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publica nesta segunda (30) o registro do sofosbuvir, o terceiro medicamento para hepatite C crônica aprovado no país neste ano.
Ele poderá ser incorporado ao SUS, assim como o daclatasvir e o simeprevir.
Os remédios, administrados por via oral, estão entre os mais eficientes do mundo, com percentual de cura de 90%.
Segundo o Ministério da Saúde, os medicamentos devem estar na rede pública até o fim deste ano. A expectativa é que atendam 60 mil pessoas até 2017.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Por briga política, cidade no Pará tem dois prefeitos

Câmara e presidência da Casa divergem ao afastar prefeito e nomear vice.

Conflito político confunde moradores de Parauapebas.


No município de Parauapebas, no sudeste do Pará, um conflito político entre vereadores na Câmara faz com que a cidade tenha dois prefeitos: o prefeito eleito, Valmir
Mariano, foi afastado por 180 dias pela oposição para que fossem apuradas denúncias de irregularidade na gestão municipal, mas a decisão - que daria posse para a vice-prefeita - não foi reconhecida pelo presidente do legislativo municipal.

A situação inusitada gera confusão até entre os moradores, que não sabem quem é o chefe do poder executivo de fato. "Uma hora é a Ângela, outra hora é o Seu Valmir. Então, você fica perdido nesse 'tiroteio'", brinca o empresário Rubens Souza.
Afastamento sem reconhecimento
A crise política começou no último dia 3 de março, quando oito vereadores da oposição votaram na Câmara o afastamento do prefeito Valmir Mariano por 180 dias, acusando-o de improbidade administrativa. Eles teriam se baseado em denúncias de fraudes em licitações e superfaturamento de obras públicas
Porém, o ato dos vereadores da oposição, de afastar o prefeito, não foi reconhecido pela presidência da Câmara Municipal.  "As convocações das sessões são para as 16h de terça-feira, que o regimento diz. Nós cumprimos e encerramos dentro da legalidade", afirmou Ivanaldo Braz, presidente da Câmara.
Já no dia 5 de março a oposição deu posse à vice-prefeita Ângela da Silva. No mesmo dia, ela tentou entrar no prédio da Prefeitura acompanhada por militantes, mas foram barrados pela Polícia Militar.
"A gente aguarda que a Justiça venha a tomar conhecimento de todos os fatos que a Câmara de Vereadores apresentou. Mas, de fato, estou sendo a prefeita interinamente", declarou Silva.

Nesta terça-feira (24) um dos vereadores que votaram pelo afastamento do prefeito foi nomeado por ele como Secretário de Esporte e Lazer do município.
Denúncias contra o prefeito 
Entre as denúncias está a compra de um terreno para a construção de casas populares. Segundo os vereadores, no dia 15 de outubro de 2013 a Prefeitura pagou mais de R$ 15 milhões por um terreno, sendo que dois meses antes, ele havia sido vendido a um empresário da cidade pelo valor de R$ 800 mil.
"Não tem como dizer que não houve desvio, que não houve superfaturamento, que não há improbidade administrativa, pois há sim e é isso que queremos provar para a sociedade", afirmou a vereadora Eliene Soares.
O prefeito negou as acusações e disse que, no que diz respeito ao terreno, o município adquiriu uma área urbanizada, com rede de esgoto, água, ruas pavimentadas e energia e que, na época, toda a Câmara de Vereadores concordou com a compra da terra.
"Não se trata de um terreno, são 533 lotes totalmente urbanizados. Compramos dentro da maior lisura possível, com a assinatura de todos os vereadores, que foram lá, presenciaram, viram a área e endossaram a compra", assegurou Mariano.
As denúncias contra o gestor foram encaminhadas ao Ministério Público do Estado (MPE). Enquanto isso, o prefeito continua trabalhando normalmente e diz que está sofrendo perseguição política.
tópicos:

quarta-feira, 25 de março de 2015

Cid Gomes e os “achacadores” do Congresso

Falar a verdade, nos tempos em que a hipocrisia de muitos se traveste de modéstia, é pecado mortal, ou, no mínimo, como nos tempos de Herodes, é correr o risco de ter a cabeça presenteada aos lobos e urubus numa bandeja de ouro.

Quem se atreve, diante dos devoradores da ética e da Democracia, a dizer a verdade recebe insultos – os quais os insultadores não aceitam para si.
É o cinismo dos que se dizem os homens do poder guardando para si pureza que pouco lhes cabe nas ventas, como dizia minha avó.
O ex-governador do Ceará e agora ex-ministro, Cid Gomes, foi um dos poucos que tiveram a coragem de afrontar os do poder. Além de Brizola, que obrigou, sob a Justiça, Cid Moreira a ler seu direito de resposta, em pleno Jornal Nacional.
Cid Gomes
Luciana Genro flechou em pleno início do debate entre os presidenciáveis e denunciou a imoralidade da emissora dos Marinhos de não querer que os candidatos com pouca intenção de voto participassem de debates…

Votação da PEC que reduz maioridade penal para 16 anos é adiada


maioridade-penalUma série de manobras regimentais do PT e intensas trocas de provocações entre os deputados levaram a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara [dos Deputados] a adiar nesta quarta-feira (25) a discussão sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que reduz a maioridade penal de 18 anos para 16 anos.
O PT pediu a leitura na íntegra de outros projetos que estavam com prioridade na pauta de votações, além de insistir e prolongar discussões sobre as matérias. O partido é contrário ao texto.
Antes do início da sessão, grupos com opiniões divergentes sobre a redução da maioridade tomaram os corredores da Casa, que reforçou o esquema de segurança.

terça-feira, 24 de março de 2015

DEPUTADO HILTON AGUIAR EM BUSCA DE IMPLANTAR CAMPUS DA UEPA EM ITAITUBA


Na manhã de hoje (23), os deputados Hilton Aguiar e Francisco Chapadinha estiveram reunidos com o Secretário Estadual de Educação, Helenilson Pontes, buscando melhorias para educação do Estado, em especial para a região Oeste.
O parlamentar cobrou prioridade para algumas obras que estão com seus cronogramas atrasadas, como por exemplo as escolas Maria do Socorro Jacob, Miritituba e Piracanã no município de Itaituba.

O secretário Helenilson Pontes, se comprometeu em dar prioridade às demandas apresentadas pelos parlamentares do Oeste do Pará.
 

O Deputado Estadual Hilton Aguiar (SDD) reuniu com o Reitor da UEPA, Juarez Antônio Simões Quaresma, para conversações acerca da implantação de um campus da universidade no município de Itaituba. Hilton Aguiar já esteve no município buscando parcerias para conseguir uma área para a implantação desta universidade, e recebeu o apoio da empresa Campo Belo que está disposta em doar um terreno para construção do campus da UEPA.

Impasse na fusão do PTB com o DEM

PTB

Líderes do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) e do DEM (Democratas) que discutem a fusão das duas legendas chegaram a um impasse. Os petebistas querem manter a denominação original de sua própria sigla. Mas democratas estariam incomodados em integrar um partido “trabalhista”.
As legendas aguardam também a sanção do projeto que estabeleceu regras para a fusão de partidos.
Um dos artigos estabelece que a nova legenda herda a soma de tempo de televisão e recursos do fundo partidário a que as siglas que a originaram já tinham direito antes de se juntarem.
Com isso, a nova legenda formada por PTB e DEM se tornaria atrativa para o ingresso de parlamentares de outros partidos.

sábado, 21 de março de 2015

Alepa critica nomeação de filha de governador para nova secretaria

Parlamentares afinam discurso contra criação de secretaria e nomeação.

Izabela Jatene, filha do governador, assume a nova secretaria.

O governador Simão Jatene (centro) é empossado para terceiro mandato na Assembléia Legislativa (Foto: Thais Rezende / G1)Reeleito, o governador Simão Jatene (centro) é criticado pelos parlamentares da Assembleia Legislativa pela criação de nova secretaria e nomeção da filha. (Foto: Thais Rezende / G1)
Parlamentares da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) criticaram nesta sexta-feira (20), em Belém, a decisão do governador do estado, Simão Jatene, em criar a Secretaria Extraordinária de Integração de Políticas Sociais e nomear a própria filha para gerir a pasta. Izabela Jatene havia assumido há menos de três meses a presidência da Fundação ProPaz, voltada para o atendimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
A medida, publicada no Diário Oficial do Estado na última segunda-feira (16), surpreendeu os deputados, que no final de 2014 aprovaram uma reforma que visou o corte de gastos no estado, reduzindo as despesas do órgãos vinculados ao Executivo, assim como a redução de secretarias. Com a reforma, os 75 órgãos vinculados ao governo passaram a 55, sendo 18 secretarias e 37 órgãos vinculados. Também foi definida a extinção de cinco secretarias especiais e a fusão de secretarias e órgãos, além da redução de cerca de 500 cargos comissionados.
Segundo o deputado Iran Lima (PMDB), líder da bancada da oposição, a assessoria jurídica irá verificar a legalidade da nomeação e caso haja algum abuso, acionará o Ministério Público do Estado com uma representação por crime de responsabilidade contra o governador. Para o deputado, a questão vai além da legalidade.

Justiça nega pedido de liberdade do maior desmatador da Amazônia

Ezequiel Antônio Castanha foi preso no dia 21 de fevereiro deste ano.

Ele comandaria quadrilha que teria desmatado 15 mil hectares de florestas.

Ezequiel Castanha tem R$ 30 milhões em multas por crime ambiental, segundo Ibama (Foto: Reprodução/ Globo Rural)
Ezequiel Castanha tem R$ 30 milhões em multas por
crime ambiental, segundo Ibama
(Foto: Reprodução/ Globo Rural)
A Justiça Federal de Itaituba, no sudoeste do Pará, negou nesta sexta-feira (20) o pedido de liberdade de Ezequiel Antônio Castanha, considerado um dos maiores grileiros de terras da Amazônia. Ele foi preso no dia 21 de fevereiro deste ano, durante a operação Castanheira. Ezequiel é acusado de comandar a quadrilha que teria desmatado 15 mil hectares de florestas nos últimos dez anos. Ele acumula mais de R$ 30 milhões em multas por crimes ambientais e tinha prisão decretada desde agosto de 2014.
Também foi negado pela Justiça Federal o pedido de liberdade para Giovany Marcelino Pascoal e Edivaldo Dalla Riva, que também fazem parte da quadrilha. Castanha e Dalla Riva continuam presos em Itaituba, enquanto Giovany Marcelino Pascoal permanece foragido.
A prisão
Ezequiel Antônio Castanha foi preso pela Polícia Federal e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A prisão é resultado da operação Castanheira, realizada em agosto do ano passado com o apoio do MPF e Receita Federal.

Tiririca é condenado por parodiar música de Roberto Carlos

A Justiça condenou o deputado federal Tiririca (PR-SP) e o diretório regional de São Paulo do PR (Partido da República) por parodiarem a canção “O Portão”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, na campanha eleitoral do ano passado. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

A sentença foi do juiz Márcio Teixeira Laranjo, da 21ª Vara Cível de São Paulo.
tiririca
Pela decisão em primeira instância, os réus estão proibidos de utilizar a música e terão que pagar indenização, em valor ainda não estipulado, à editora EMI Songs, detentora dos direitos patrimoniais da composição.
Na campanha eleitoral na TV em 2014, Tiririca imitou Roberto Carlos, usando peruca e terno branco, para pedir votos. Sentado em frente a um prato de bife, em referência à propaganda de um frigorífico protagonizada por Roberto, Tiririca cantava: “Eu votei, de novo eu vou votar/ Tiririca, Brasília é o seu lugar”.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Aprovação de Dilma despenca, e chega perto de Collor antes do impeachment

Dilma Rousseff
Com menos de três meses cumpridos de seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff [foto] atingiu a mais alta taxa de reprovação de um mandatário desde setembro de 1992, véspera do impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello.
Conforme pesquisa Datafolha feita entre segunda e terça, 62% dos brasileiros classificam sua gestão como ruim ou péssima. Há 22 anos, quando Collor estava prestes a cair, sua reprovação era de 68%.
Com indicadores de expectativa econômica batendo recordes negativos, a reprovação de Dilma subiu 18 pontos na desde fevereiro.
Com indicadores de expectativa econômica batendo recordes negativos, a reprovação de Dilma subiu 18 pontos na desde fevereiro. A pesquisa foi feita com 2.842 eleitores logo após as manifestações de domingo, atos contra Dilma que levaram milhares às ruas.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Partidos podem ter que pagar prejuízos causados à Petrobras

Coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, hoje (16):

PP - Partido Progressista - Blog do JesoOs partidos políticos envolvidos no escândalo da Operação Lava Jato podem ser obrigados a responder financeiramente pelos prejuízos causados à Petrobras, caso se comprove que eles receberam mesmo propina.
A tese jurídica começou a ser debatida entre envolvidos nas investigações.
A ideia, no entanto, é polêmica. No limite, ela poderia significar o fim de algumas legendas, que não teriam recursos para arcar com pesadas multas.
Os valores envolvidos no escândalo já foram estimados em centenas de milhões de dólares.

domingo, 15 de março de 2015

Após atos, governo diz que país está longe de golpismo e promete medidas

Após os protestos contra a presidente Dilma Rousseff, que reuniram mais de 1,7 milhão de pessoas por todo o país neste domingo (15), segundo dados da Polícia Militar dos Estados, o governo disse que o Brasil está longe do golpismo e prometeu lançar nos próximos dias medidas de combate à corrupção e à impunidade.
"O Brasil está muito longe de golpismos. A expressão efetiva da manifestação democrática de hoje e de todas as outras que ocorreram ao logo desses dias revelam exatamente isso", disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em entrevista coletiva convocada durante a tarde e realizada no início da noite. 
Durante o pronunciamento oficial do governo, foram registrados panelaços em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte (MG). 
Os atos, segundo ele, comprovam o "desejo de todos os brasileiros de combater a corrupção e a impunidade". Cardozo disse que o governo também está engajado neste propósito e deve anunciar em breve um conjunto de medidas contra a corrupção, mas sem dar detalhes. 
A proposta, de acordo com o ministro, será enviada para o Congresso antes do prazo prometido pela presidente Dilma durante campanha eleitoral, que era de seis meses. "Há questões que exigem um pacto entre poderes distintos", disse Cardoso ao justificar o porquê as medidas não foram tomadas antes. 
As ações do governo nessa área, como apontou o ministro, não se encerram com a divulgação das medidas. "Estamos abertos a ouvir propostas seja de quem defende o atual governo, seja de quem o critica." 
Cardozo disse ainda ser "indiscutível" a necessidade de uma mudança no atual sistema político-eleitoral.  "É a porta de entrada principal para a corrupção", declarou  ele, que voltou a enfatizar a posição do governo a favor de uma reforma política. "Não é mais possível financiamento empresarial de campanhas."
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, que também participou da entrevista, disse que há uma "inquietude" entre a população devido ao tempo entre o surgimento de denúncias de corrupção na Petrobras e o julgamento das denúncias. "Ao mesmo tempo em que a sociedade aguarda o julgamento dos casos denunciados, também espera que sejam votadas normas que interrompam esse processo", declarou. 
"Esse governo combate a corrupção. O Executivo corrige erros, quem julga são as polícias e o Poder Judiciário", acrescentou.
"Protestos daqueles que não votaram na Dilma"
Tanto Rossetto como Cardoso classificaram os protestos como "legítimos". O ministro da Secretaria-Geral da Presidência disse, no entanto, que os atos partiram majoritariamente de um setor crítico ao governo Dilma Rousseff e que não votou na presidente.
"As manifestações contrárias ao governo são legítimas. O que não é legítimo é o golpismo, a intolerância, o impeachment infundado que a agride a democracia", relatou ele, ao se referir indiretamente a uma das principais reivindicações dos manifestantes.
Em um tom mais ameno, Cardoso ressaltou que o governo atua em favor de todos os brasileiros, "dos que votaram ou não na presidente". "O governo respeita as divergências para que possa encontrar a melhor solução para todo o país e todos os brasileiros. Não há democracia sem diálogo. Não há democracia sem tolerância de posições."

quinta-feira, 12 de março de 2015

ASSALTO BANCO DA AMAZÕNIA CIDADE DE PLACAS

Assalto em banco tem um preso e sete foragidos em Placas

Não houve feridos e os reféns foram abandonados em uma estrada entre os municípios de Placas e Uruará

Foto: @Plantao190Para

Oito homens assaltaram a agência do Banco da Amazônia, por volta das 10 horas desta quinta-feira (12), no município de Placas, oeste do Pará. De acordo com a Polícia Civil, os assaltantes entraram atirando na agência, quebraram a porta giratória, arrobaram os caixas eletrônicos e fizeram reféns tantos funcionários quanto os clientes do banco.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o assalto durou cerca de 15 minutos. Um assaltante foi preso ainda no banco os outros sete bandidos fugiram pela rodovia Transamazônica em uma caminhonete levando quatro reféns. Ao se deparar com uma barreira do Grupamento Táticos da PM, houve troca de tiros. O grupo então entrou numa vicinal que tem saída para a cidade vizinha, Uruará. 
Os quatro reféns foram encontrados no ramal. A polícia está fazendo ronda. Dois helicópteros da polícia de Santarém foram acionados para ajudar nas buscas. 
Ainda não há informações sobre a quantia levada pelos os assaltantes. O bandido preso, vai ser encaminhado para a delegacia da cidade.  
Em nota, o Banco da Amazônia informou que não há feridos e que os o setor de Recusos Humanos está prestando assitência a todas as vítimas. 

Pai nada exemplar

Chamado de moleque pelo deputado Edmilsom Rodrigues (PSOL-PA) na reunião de abertura da CPI do Petrobras [foto], o deputado Hugo Motta (PMDB-PB), presidente da comissão que investigará o petrolão, precisará de muito equilíbrio para dirigir os trabalhos.
edmilsonMotta terá de esquecer, por exemplo, a situação do seu pai, o deputado estadual Nabor Wanderley Nóbrega Filho, denunciado pelo Ministério Público por falsificação de documento.
Nabor chegou a ser condenado em primeira instância por improbidade administrativa por causa de irregularidades em contratos assinados com um instituto para a contratação de centenas de servidores públicos quando era prefeito de Patos, na Paraíba.
Se Nabor for condenado em última instância, será considerado ficha suja.

terça-feira, 10 de março de 2015

REGALIAS A CASTANHA LEVAM À EXONERAÇÃO DIRETOR DO PRESÍDIO.

Mordomias para Castanha custaram o cargo do diretor da Cadeia Pública de Itaituba, Márcio Ferreira.


Custou o cargo de diretor da Cadeia Pública de Itaituba para Márcio Ferreira da Silva, as mordomias concedidas ao empresário Ezequiel Castanha.


A SUSIPE exonerou Márcio, no final da manhã de hoje.

Márcio, que é irmão do ex-vereador Marcos Ferreira da Silva, estava no cargo há alguns anos, tendo resistido a muitas tentativas de apeá-lo do cargo. Mas, agora ele extrapolou e perdeu o cargo.

Castanha teria regalias na Cadeia Pública de Itaituba


A procuradora da República, Janaína Sousa, está em Itaituba para apurar acusações de que o empresário Ezequiel Castanha estaria contando com regalias dentro da Cadeia Pública, onde está preso.

Considerado o maior desmatador do Brasil, há acusação de que Castanha teria TV em cores, celular e até uma bicicleta ergométrica para se exercitar.

Nem a procuradora, nem o diretor da cadeia pública de Itaituba quiseram falar com a imprensa.

Castanha continua alimentando o noticiário nacional.

Ainda ontem saiu uma matéria grande publicada pelo maior jornal escrito do país, a Folha, a destacando a atuação dele e informando que a multa pelos crimes cometidos pode chegar a R$ 500 milhões e pode pegar uma pena de até 40 anos.

Em um dos trechos da entrevista, a Folha destaca uma declaração feita por Ezequiel Castanha, ano passado, em uma entrevista concedida ao Globo Rural.

“Se nós não desmatássemos, não existiria o Brasil. Não existiria nada”

Postado por José Parente de sousa

Foto do dia

 Ex-deputado do DEM toma posse como secretário


Prefeito Alexandre Von assinando o Termo de Posse dos novos secretários
Ex-deputado estadual, derrotado na eleição de 2014 para Câmara dos Deputados, o médico Nélio Aguiar (DEM) é o novo titular da pasta de Planejamento (Seplan) da gestão do prefeito Alexandre Von (Santarém). Ele tomou posse hoje de manhã (10), em ato solene que contou com a presença do ex-prefeito multiprocessado Lira Maia (DEM). A irmã dele, Maria José Maia, atual vice-prefeita, assumiu a pasta de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel).

Na cadeia, o maior desmatador da Amazônia usa internet, celular e notebook

Castanha
Castanha: só falta vinho do Porto
O madeireiro Ezequiel Castanha, preso como o maior desmatador da Amazônia, é tratado como celebridade no Centro de Recuperação de Itaituba, onde está recolhido.
Diferente de outros detentos, ele tem internet, telefone celular e notebook à disposição.
Para completar o festival de mordomias, agora a Casa Penal autorizou a entrada de uma bicicleta ergométrica. Só faltam camarão e vinho do Porto.
Padrinho
O que se diz é que o ex-prefeito Walmir Climaco, cacique do PMDB em Itaituba, é padrinho de Ezequiel Castanha, é dá as cartas no presídio da cidade.
Explica-se: Walmir foi quem indicou o atual diretor da Casa Penal, Márcio Ferreira, que, obviamente, é seguidor da máxima segundo o qual “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

“Soldados da borracha”

“Soldados da borracha” começam a receber indenização de R$ 25 mil

Quase 70 anos após o fim da Segunda Guerra, o governo federal começou a indenizar no dia 2 de março os “soldados da borracha”, como ficaram conhecidos os retirantes recrutados no Nordeste para extrair o produto na Amazônia e abastecer a indústria bélica americana.
Cada soldado e descendente (são 11.900 ao todo), receberá indenização de R$ 25 mil até o fim do ano. Segundo a Previdência Social, o montante será de R$ 289 milhões.
CCJ - Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
Mais da metade dos beneficiários é do Acre (6.895), seguido pelo Amazonas (1.917).
Atualmente, restam pouco mais de 5.000 ex-soldados vivos. A categoria busca os mesmos direitos dos brasileiros que lutaram na Europa.
Desde 1988, os “soldados da borracha” recebem dois salários mínimos – os ex-combatentes recebem sete salários, abono, assistência médica e outros benefícios.